Com a idéia de buscar um som diferente tendo como ponto de    partida a Bossa Nova, o cantor e compositor brasileiro Felipe Lion iniciou em 2014 uma série de jam sessions com jovens músicos da cena alternativa paulistana. Animado com o resultado dessas sessões, Lion decidiu criar o last aliens in rio, uma espécie de banda formada só com músicos convidados, onde a única referência permanente é  o próprio Lion e suas composições.

Em junho de 2015, Teu Doce Jeito de Dizer Adeus, álbum de estréia da banda, foi lançado pelo selo sueco Mareld. No ano seguinte um novo lançamento, Bossa Nova Hotel, pelo selo italiano RNC Music. Ambos os álbuns foram muito bem recebidos pelo público, figurando inclusive no Brazil Top Charts (Lançamentos) e South Korea Top Charts (Bossa Nova e Jazz), entre outros bons resultados.

Quase todas as músicas destes dois álbuns foram selecionadas para participar de compilações de Jazz e Lounge Music, lançadas por selos ao redor do mundo, bem como de diversas playlists elaboradas por curadores profissionais, como a Future Hits, disponibilizada nos aviões da Air France. 

Índia, novo trabalho do last aliens in rio, lançado em todas as plataformas em 20 de setembro de 2019, é um álbum que vem para consolidar a linguagem musical deste projeto. Nas 10 faixas, todas escritas por Lion (duas em parceria com seus antigos companheiros do Merlim), os músicos demonstram estar totalmente confortáveis com o estilo de Bossa Nova criado pelo seu líder. Este estilo é caracterizado, principalmente, por letras modernas e bem construídas e pela batida em compasso 7/8, ao invés do 2/4 ou 4/4 usados tradicionalmente na Bossa. Essa batida, para Lion, torna a Bossa mais jazzy, moderna e elegante.

Além disso a Bossa em compasso 7/8 parece facilitar uma das características do gênero, que é a do cantor não ficar subordinado à estrutura rítmica da música, podendo antecipar ou se demorar em relação ao compasso, encurtando ou esticando notas. João Gilberto, considerado o pai desse gênero, sempre usou bastante esse recurso.

Para quem quiser comparar, Índia, música que dá titulo ao álbum, é uma Bossa em 7/8 enquanto Como Explicar ao Coração?, terceira faixa do álbum, foi escrita por Lion como uma Bossa tradicional.

Além da Bossa Nova, o last aliens in rio traz de forma estilizada para esse lançamento outros gêneros musicais tipicamente brasileiros, como Bunitinha, um divertido Chorinho cantado por Lion em dueto com a cantora Rita Oliva, o Baião Sem Risco e o Samba Rock  Desassossego.

Índia foi produzida por Lion e Alexandre Fontanetti, que recentemente ganhou um Grammy Latino por seu trabalho como engenheiro de som no álbum Jardim de Nando Reis. Participaram das gravações, além do próprio Lion (voz) e Fontanetti (guitarra e requinto), os músicos Leandro Henrique (violão); Luciano Ruas (piano); Zé Godoy (piano); Alex Dias (contrabaixo); Marcelo Freitas (sax e clarinete); Thadeu Romano (acordeom); Wagner Vasconcelos (bateria) e a cantora Rita Oliva•
#1 ÍNDIA (tarde de Sol)



#2 SEM RISCO



#3 COMO EXPLICAR AO CORAÇÃO?



#4 BUNITINHA (feat. Rita Oliva)



#5 ORIXÁ



#6 ÍNDIA (tarde de chuva)



#7 CONTRALUZ



#8 DESASSOSSEGO



#9 ONDAS DE COR



#10 A RAINY DAY IN NEW YORK (THE CAT IN LOVE AND THE MISSING SUN)


CRÉDITOS DO ÁLBUM Produzido por Felipe Lion & Alexandre Fontanetti.  Gravado, Mixado e Masterizado no estúdio Space Blues, São Paulo, Brasil. Engenheiro de Som Alexandre Fontanetti. Assistente Leandro Henrique. Todas as músicas e letras foram escritas por Felipe Lion. As faixas Sem Risco e Orixá têm letras de Lion e música feita por Lion em parceria com Guto Domingues, Kike Damasceno e Júnior Gaspari.  FAIXAS #1 ÍNDIA (tarde de Sol) Voz Felipe Lion, Piano Luciano Ruas, Violão Leandro Henrique, Sax Tenor e Alto Marcelo Freitas, Contrabaixo Acústico Alex Dias, Bateria Wagner Vasconcelos • #2 SEM RISCO Voz Felipe Lion, Piano Luciano Ruas, Violão Leandro Henrique, Acordeom Thadeu Romano, Contrabaixo Acústico Alex Dias, Bateria Wagner Vasconcelos • #3 COMO EXPLICAR AO CORAÇÃO? Voz Felipe Lion, Piano Zé Godoy, Violão Leandro Henrique, Clarinetes Marcelo Freitas, Contrabaixo Acústico Alex Dias, Bateria Wagner Vasconcelos • #4 BUNITINHA (Feat. Rita Oliva) Voz Felipe Lion & RITA OLIVA Piano Zé Godoy, Violão Leandro Henrique, Sax Soprano Marcelo Freitas, Contrabaixo Acústico Alex Dias, Bateria Wagner Vasconcelos • #5 ORIXÁ Voz Felipe Lion, Piano Luciano Ruas, Guitarra Alexandre Fontanetti, Sax Soprano Marcelo Freitas, Contrabaixo Acústico Alex Dias, Bateria Wagner Vasconcelos • #6 ÍNDIA (tarde de chuva) Voz Felipe Lion, Violão Leandro Henrique, Requinto Alexandre Fontanetti • #7 CONTRALUZ Voz Felipe Lion, Piano Zé Godoy, Violão Leandro Henrique, Contrabaixo Acústico Alex Dias, Bateria Wagner Vasconcelos • #8 DESASSOSSEGO Voz Felipe Lion, Piano Zé Godoy, Violão Leandro Henrique, Sax Tenor Marcelo Freitas, Contrabaixo Acústico Alex Dias, Bateria Wagner Vasconcelos • #9 ONDAS DE COR Voz Felipe Lion, Piano Zé Godoy, Violão Leandro Henrique, Sax Tenor Marcelo Freitas, Contrabaixo Acústico Alex Dias, Bateria Wagner Vasconcelos #10 A RAINY DAY IN NY (THE CAT IN LOVE AND THE MISSING SUN) Voz Felipe Lion, Piano Luciano Ruas. CAPA Arte Felipe Lion. Foto Rogério de Lucca. Tratamento de Imagem Weslei Marinho (WM Fusion). Modelo Alessandra Vilhena.