Depois de vários anos atuando como vocalista e líder do Merlim, Felipe Lion decidiu aproveitar um momento de inatividade da banda para partir para outro projeto. Durante todo esse tempo havia acumulado um bom número de composições no estilo Bossa Nova e queria apresentar esse trabalho ao público. Com o apoio de um amigo, o também cantor, compositor e multi-instrumentista, Douglas Capellato, começou em 2013 uma série infindável de sessões de estúdio, gravando e regravando esse material. A idéia inicial era formarem uma dupla, mas os planos se alteraram quando Douglas resolveu morar no Canadá.

Em 2014, Lion, usando parte do material gravado com Douglas, continuou mexendo nas músicas, incluindo e excluindo instrumentos, muitas vezes recriando completamente os arranjos. Nesse ponto, o projeto já tinha um nome, Last Aliens in Rio, e uma proposta definida: criar algo diferente a partir da Bossa, um estilo que Lion sempre apreciara, mas que lhe parecia emparedado entre a eterna emulação de seus ídolos e o papel secundário de fonte de versões soft de sucessos da música internacional.

Lion reuniu então um grupo de jovens músicos e finalizou esse primeiro álbum que, aquela altura, só tinha músicas escritas em inglês. Enviou essa primeira versão para vários selos europeus e americanos. Em pouco tempo recebeu diversas propostas, acabando por optar pelo selo Mareld (Suécia), ligado a Substream Music Group, após Håkan Ludvigson, o seu diretor artístico, tê-lo incentivado a regravar as músicas em português. O nome Last Aliens in Rio foi mantido em inglês porque todos os envolvidos o achavam genial.

O álbum de estreia, Teu Doce Jeito de Dizer Adeus, com 10 músicas assinadas por Lion – uma em parceria com Douglas Capellato – foi lançado em junho de 2015, ficando por várias semanas na lista dos álbuns de Jazz mais vendidos da iTunes Brasil. Teu Doce Jeito de Dizer Adeus teve também boa repercussão internacional, principalmente na Coréia do Sul e no Japão.

O segundo álbum do Last Aliens in Rio, Bossa Nova Hotel, saiu em setembro 2016 pelo selo italiano RNC Music, entrando imediatamente para lista geral das mais vendidas da iTunes Brasil. Suas 10 músicas são assinadas por Lion, duas delas com o violonista Leandro Henrique. A base do repertório são as bossas novas em compasso 7/8, marca registrada de Lion, como a carioquíssima Onde Tu Tá? – homenagem de Lion ao Rio. Outra Bossa em 7/8, Musa Urbana, permaneceu por vários meses no Jazz e Bossa Top Charts da Coréia do Sul.

Quase todas as músicas destes dois álbuns foram selecionadas para participar de compilações de Jazz e Lounge Music, lançadas por selos ao redor do mundo, bem como de diversas playlists elaboradas por curadores profissionais, como a Future Hits, disponibilizada nos aviões da Air France.

Índia, novo trabalho do Last Aliens in Rio com lançamento em todas as plataformas em 20 de setembro de 2019, é um álbum que vem para consolidar a linguagem musical deste projeto. Nas 10 faixas, todas escritas por Lion (duas delas em parceria com seus antigos companheiros do Merlim), os músicos demonstram estar totalmente confortáveis com o estilo de Bossa Nova criado pelo seu líder. Este estilo é caracterizado, principalmente, por letras modernas e bem construídas e pela batida em compasso 7/8, ao invés do 2/4 ou 4/4 usados tradicionalmente na Bossa. Essa batida, para Lion, torna a Bossa mais jazzy, moderna e elegante.

Além da Bossa Nova, o Last Aliens in Rio traz de forma estilizada para esse lançamento outros gêneros musicais tipicamente brasileiros, como Bunitinha, um divertido Chorinho cantado por Lion em dueto com a cantora Rita Oliva, o Baião Sem Risco e o Samba Rock  Desassossego.

Índia foi produzida por Lion e Alexandre Fontanetti, que recentemente ganhou um Grammy Latino por seu trabalho como engenheiro de som no álbum Jardim de Nando Reis. Participaram das gravações, além do próprio Lion (voz) e Fontanetti (guitarra e requinto), os músicos Leandro Henrique (violão); Luciano Ruas (piano); Zé Godoy (piano); Alex Dias (contrabaixo); Marcelo Freitas (sax e clarinete); Thadeu Romano (acordeom); Wagner Vasconcelos (bateria) e a cantora Rita Oliva

Clicando nas imagens das capas dos álbuns, que estão abaixo, você poderá acessar os dois discos lançados pelo Last Aliens in Rio, bem como as compilações de várias partes do mundo, que incluiram uma ou mais de suas músicas.

Índia album cover
BOSSA NOVA HOTEL (RNC Music - 2016)
TEU DOCE JEITO DE DIZER ADEUS (Mareld - 2015)
Lounge Factory Best of 2019 (RNC Music - 2019)
Lounge Factory Vol.8 (RNC Music 2019)
Cool Christmas 2018 (RNC Music - 2018)
Love Forever 2018 (RNC Music 2018)
Lounge Factory Vol.7 (RNC Music - 2018)
Lounge Factory Vol.6 (RNC Music - 2018)
COOL CHRISTMAS 2017 (RNC Music - 2017)
LOUNGE FACTORY V.5 (RNC Music - 2017)
LOUNGE FACTORY VOL.4 (RNC Music - 2017)
LOUNGE ARABIA (Digital Distribution Jordan - 2017)
COOL CHRISTMAS 2016 (RNC Music - 2016)
SENSUAL NATURAL LOUNGE MUSIC (Night & Day - 2016)
LOUNGE FACTORY VOL.3 (RNC Music - 2016)
BMG OF SHORT TRIP V.1 (Night & Day - 2015)
BMG OF SHORT TRIP V.2 (Night & Day - 2015)
CASA LOUNGE CAPRI (Roton Music - 2015)
LOUNGE FACTORY VOL.2 (RNC Music - 2015)
LOUNGE FACTORY (RDS RECORDS - 2016)