O inimigo interno

e tendo por fim se libertado
ele estendeu a mão em minha direção
a mão pálida de quem não sabia
que havia um sol fora de meu corpo, seu lar
e tendo feito isso sorriu com enorme felicidade
e eu não pude fazer nada mais do que segurá-la
e ela se transformou em uma garra

ele me puxou para si e me beijou com doçura
e carrasco e vitima se confundiram
pois a vitima havia gerado o carrasco
havia alimentado o carrasco e o abrigado
dentro de meu próprio corpo
quiçá por vários anos
quiçá por algum motivo
e tendo por fim se libertado
ele estendeu a mão em minha direção
a mão pálida de quem não sabia
que havia um sol fora de meu corpo, seu lar
e tendo feito isso sorriu com enorme felicidade
e eu não pude fazer nada mais do que segurá-la
e ela se transformou em uma garra
ele me puxou para si e me beijou com doçura
e carrasco e vitima se confundiram
pois a vitima havia gerado o carrasco
havia alimentado o carrasco e o abrigado
dentro de meu próprio corpo
quiçá por vários anos
quiçá por algum motivo

No Comments

Leave a Reply