A Arte da Automutilação

Poesia que confronta, instiga, transborda em sensibilidade. Não poderia se esperar menos do imaginário do artista multidisciplinar Felipe Lion, que se mostrou desde cedo um prodígio, sendo eleito aos 12 anos de idade para ocupar uma cadeira na Academia Juvenil de Letras Paulistas. Mais tarde formou-se como bailarino clássico, aprimorando seus conhecimentos na escola do Ballet Nacional de Cuba. Atualmente, Lion divide suas atividades, além da escrita, como vocalista de duas bandas de gêneros diferentes: Merlim, que tem viés ”indie” e Last Aliens in Rio, com a proposta leve e melódica da “nova” bossa nova. Ambos os grupos tocam repertório com letras de sua autoria. É notório que, ao dedicar os seus vários talentos para áreas culturais diferentes, Felipe Lion alcançou um entendimento profundo e especial da natureza humana. Sua poesia recheada de vivacidade retrata esse olhar único, refletindo, em muitos momentos, sobre a existência pouco compreendida do homem neste mundo; em outros, sobre a relação intensa e apaixonada entre dois amantes e, por vezes, traz memórias, lembranças e questionamentos íntimos que traduzem sentimentos universais a todos. A Arte da Automutilação é um livro que absorve pela abordagem distinta de cada poema, alguns com toques de realismo mágico, outros com o perfume romântico de sonetos do século XIX… Felipe Lion é assim, a um só tempo, imprevisível e comprometido: um verdadeiro “cidadão-cultural”. A bem-vinda inquietude do autor nos propõe uma obra arrebatadora – leitura indispensável para alimentar a alma.

Laura Wie, apresentadora e jornalista especializada em cultura

   Unknown-1   saraiva-logo-livraria   images     Unknown-2