A GENTE DE COLA 

 

Que lágrima caiu
Na tua gravidade?
Que artista esculpiu
A tua vaidade?

A luz da estrela vã
Um quadro de Rembrandt
São traços e resquícios
De algo que já se acabou

Amálgamas de amor
Nas ruas da cidade
Os beijos de pavor
Prevendo a liberdade

Vazados de adeus
Teus olhos e os meus
São laços e indícios
De algo que nem começou

Por que fingir agora
Que não foi tão bom assim?
Teu corpo ao meu se cola
Isso nunca vai ter fim

Porque a gente se gosta
A gente se cola tão bem
A gente se gosta
A gente se enrosca também

2016@FelipeLion&LeandroHenrique